Retornar � p�gina inicial!
 
DOCUMENTOS OFICIAIS PLANO DE GESTÃO ACORDOS E CONVÊNIOS PROUNI E FIES TELEFONES INTERNOS EDITAIS

-

GRADUAÇÃO EXTENSÃO PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO DOWNLOAD DE ARQUIVOS MAPA DO SITE
    Você está em:  Home / Iniciao Cientfica na URI

Iniciao Cientfica na URI


A GESTÃO DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA (IC) NA URI

  A Iniciação Científica é, segundo definição do CNPq, "um instrumento de formação que permite introduzir na pesquisa científica, os estudantes de graduação potencialmente mais promissores". É uma oportunidade de aprendizado sob orientação de pesquisadores mais experientes. A Iniciação Científica é uma forma de:
a) introduzir o aluno no mundo da pesquisa científica;
b) estimular o pesquisador-orientador a formar equipes;
c) propiciar à instituição um instrumento de formulação de políticas de pesquisa.

  O processo de institucionalização da pesquisa na URI teve início em 1994 com a inclusão da universidade no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica – PIBIC/CNPq. As exigências do programa, para que uma instituição possa participar do mesmo, fez com que a URI criasse o Comitê Institucional de Avaliação de Projetos – CIAP e um programa próprio de iniciação científica, o Programa Institucional de Iniciação Científica – PIIC/URI; instituísse o Fundo de Fomento à Pesquisa – FFP; promovesse um encontro anual para apresentação dos projetos de pesquisa, o Seminário Institucional de Iniciação Científica – SIIC e se submetesse à avaliação de um comitê externo, constituído de pesquisadores nível 1A, do CNPq, responsáveis pela avaliação dos projetos candidatos ao PIBIC/CNPq e das condições em que os mesmos são desenvolvidos na instituição.

  Os resultados da institucionalização da iniciação científica na URI podem ser avaliados através dos quadros representativos dos programas de IC; gpelos 67 grupos de pesquisa da URI, cadastrados no Diretório Geral dos Grupos de Pesquisa no Brasil mais os os grupos internos; pela quantidade de ex-bolsistas que já concluíram ou estão fazendo mestrado; pelo aumento do número de projetos aprovados com bolsa BIC/FAPERGS e, pelo crescente número de projetos apresentados no SIIC/URI a cada ano.

  Para se alcançar tais patamares foi necessário um grande esforço no sentido de qualificar os recursos humanos, pesquisadores e bolsistas; ampliar e aperfeiçoar a infra-estrutura como laboratórios e bibliotecas; e, aperfeiçoar e dinamizar o processo de gestão dos projetos de pesquisa, através da criação do Sistema de Projetos de Pesquisa da URI – SPURI (antigo PGIA), módulo PROPEPG/Pesquisa.

O FOMENTO

  Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico tem uma nova missão "Promover o Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Executar Pesquisas Necessárias ao Progresso Social, Econômico e Cultural do País". A função fomento constitui a linha principal do trabalho do CNPq. É dirigido especialmente para a formação de recursos humanos e para o apoio à realização de pesquisas. No primeiro caso, a ação desenvolvida destina-se a gerar uma capacitação científica e tecnológica nacional, pela formação de pesquisadores altamente qualificados. O apoio à pesquisa, objetiva promover e estimular a produção de conhecimentos necessários ao desenvolvimento econômico e social e à afirmação da identidade cultural do país.
A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - FAPERGS contribui com a Iniciação Científica na forma de BICs anuais, por quotas ou vinculadas a projetos de Pesquisa.
Na URI, o fomento à Iniciação Científica foi ampliado com a criação do Fundo de Fomento à Pesquisa - FFP/URI, mantido com recursos da própria instituição.
Além destas, outras fontes ocasionais de fomento podem ocorrer através de projetos ou convênios em parceria com empresas e instituições.

Gráfico 1: Evolução na demanda de projetos e implementações.

 

Gráfico 2: Quadro evolutivo de inscritos no SIIC

 

Gráfico 3: Grupos de Pesquisa por Área do Conhecimento